Mulemba - n.2 - UFRJ - Rio de Janeiro / Brasil / junho / 2010

Escritos Literários:

DO LIVRO AINDA INÉDITO ESTRANGEIRA CONDIÇÃO

Ana Mafalda Leite

Estrangeira condição
diz Ela

perdi-te o gosto sabes?
como quem perde a alma ou a vista
pisando um chão antiquíssimo

nesta cegueira de não ser 
alquimia oiros nem sequer um rasto de deus
um perfume vermelho me pensou
minha mãe porque me fizeste nascer? Com a tua fala acendeste
uma boca inocente à porta do paraíso

com que sonhos, incensos e fumos me aguardavas
com que azuis de arribação me acenavas?

queima-me esta dor na margem mais redonda do mundo

                         (Ana Mafalda Leite. Do livro ainda inédito Estrangeira Condição)

nuvens nuvens fogos silêncios

a noite cobre-me
lenta em seu lençol de murmúrios

gritos gaivotas os flancos do mundo
uma voz  perturbante e um mágico pirilampo
faz-me cor de púrpura

azuis azuis verdes amarelos 
regressa tão nua como o sol 
estrelas do mar  se entreabrem 
amanheço em volúpia

e os lábios vermelhos adoçam  
pequeninas uvas pretas
sentem este silêncio 
em ti abraçado
                         (Ana Mafalda Leite. Do livro ainda inédito Estrangeira Condição)